"Absinto" é uma bebida destilada feito da erva Artemisia absinthium. Anis, funcho e por vezes outras ervas compõem a bebida. Ela foi criada e utilizada primeiramente como remédio pelo Dr. Pierre Ordinaire, médico francês que vivia em Couvet na Suíça por volta de 1792.É também conhecido popularmente de fada verde em virtude de um suposto efeito alucinógeno. Absinto, o blog, é um espaço para delírios pessoais e coletivos. Absinte-se e boa leitura.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Desconectada.com

Retrato da ansiedade

Entra ano e sai ano é a mesma correria.

Recebi um e-mail de uma amiga outro dia, dizendo que este consumismo desenfreado típico do fim de ano é coisa do demo para nos afastarmos do verdadeiro espírito de Natal. Sabe de uma coisa, eu não duvido.

Mas por eu estar na estatística dos 2 % da população mundial para quem comprar apenas pelo prazer do consumo não está com nada, ainda me resta vivenciar toda a inquietação do que chamo de “Sídrome do 31 de dezembro”.


Até lá, todos os relatórios devem ser devidamente preenchidos, todos os projetos finalizados, confirmar a participação em inúmeros amigos-ocultos, confraternizações e etc e tal.

Este ano não está sendo diferente. E, no ramo em que atuo, eu não só participo de muitas confraternizações, mas as organizo.


Não que eu não goste do que eu faço.  Porém, só neste mês, a lista de afazeres inclui:

- um culto ecumênico
- uma missa
- um vídeo
- dois tipos de cartões para serem devidamente etiquetados e enviados
- brinde de fim de ano
- festa beneficente
- árvores para arrecadação de brinquedos em agências bancárias da cidade
- tudo isso com a devida divulgação e cobertura de texto e de foto 
- encerrando a temporada com um informativo interno.

Bacana né? Eu adoro. Gosto mesmo. Mas cansa.

E sei que não sou privilegiada neste festival de ansiedade. Em todos os empregos, em todos os lares, os relógios enlouquecem e correm como loucos.


E tudo o que eu queria era ficar em casa com os meus, deixar os pés descalços neste calor dos trópicos, tomar algo refrescante e ouvir uma boa música.

Por isso há dias tento não ligar o computador na minha casa, tento não falar ao telefone e só ligo a TV para o noticiário da manhã. É uma espécie de exílio de sobrevivência. 


Precisei ficar exilada até das coisas que mais gosto, como este blog e dos blogs dos amigos, para preserva a minha vida particular e dar a devida atenção à família.

Bom, acho que este é o verdadeiro espírito de Natal, não é mesmo?

Para exemplificar o que estou querendo dizer (embora tenha a absoluta certeza de que não seja preciso, mas fica apenas como um aconchego poético), cito Adélia Prado:

Minha mãe achava estudo
a coisa mais fina do mundo.
Não é.
A coisa mais fina do mundo é o sentimento.
Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
ela falou comigo:
"Coitado, até essa hora no serviço pesado".
Arrumou pão e café, deixou tacho no fogo com água quente.
Não me falou em amor.
Essa palavra de luxo
.

22 comentários:

  1. Poxa, estava mesmo pensando que vc estava sumida.
    Estava também reclamando dos muitos compromissos do final do ano, mas depois de ler os seus fiquei até achando minha vida tranquila.
    Se der, apareça!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Malu,
    A vida nos delega muitos encargos, mas ela os dá a quem possa suporta-los. Cabe a nos desempenharmos as tarefas.
    E elas serão bem feitas se feitas com amor, do jeito que você faz.
    No poema da Adelia, o filho por não escutar a mãe falar de amor, ele a classifica como artigo de luxo. Mas o amor não esta nas palavras, ele esta nos atos. No amor que se coloca em cuidar de quem a gente ama.
    É isso que você esta fazendo, minha amiga, um ato de amor.
    Tenho a certeza que quando chegas em casa, chega bastante cansada, mas chega feliz.


    bjos

    ResponderExcluir
  3. Malu
    Acho que só o facto de fazermos seja o que for com carinho e amor todo o cansaço é compensatório.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  4. Em atividades que gostamos
    Jamais broxamos
    Adoramos!
    Então... Beijamos, rsrsrsrs!

    ResponderExcluir
  5. Malu,
    Este ano foi todo pesado, mas no fim de ano a sobrecarga de atividades é algo sureal. Ainda bem, que isso é só um mês no ano!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Pois é Carol, é porque carrego muita coisa sozinha. Faço porque gosto, mas fim de ano tenho que me dar uma trégua para aguentar lida e morena ! rss

    Bjs,

    ResponderExcluir
  7. Oi Lufe, Realmente, você disse tudo, meu amigo. Quando gostamos do que fazemos, nem sentimos o peso. É como dançar a noite inteira, depois tirar o sapato e continuar dançando. Mas tem hora que precisamos dar uma priorizada para dar conta do recado. E neste caso, amigo, família em primeiro lugar, sempre.

    Beijo grande,

    ResponderExcluir
  8. Oi Guará, realmente, quando se gosta, não negamos fogo.

    Beijo grande,

    ResponderExcluir
  9. Querida Mara, só você sabe o quanto este ano foi pesado rs.

    Mas concordo com você, ainda bem que o bicho pega só um mês no ano !!

    Beijos, amiga,

    ResponderExcluir
  10. Olá Jasmim, sem dúvida, o cansaço é recompensador, quando realizamos projetos.

    Beijo grande,

    ResponderExcluir
  11. Tô dacordo
    e para ser coerente
    saio daqui
    assim
    de repente...

    (por enquato encurto comentário, depois se verá...)

    ResponderExcluir
  12. Eita Rogério, Depois volta e explica ! kk

    Bj,

    Malu

    ResponderExcluir
  13. Malu ,

    É a sina do final de ano ...
    Não tem jeito!


    BjO Grande.

    ResponderExcluir
  14. Malu, realmente dezembro vira uma loucura na vida da gente! Eu sempre penso em começar as compras em outubro, cade que eu consigo? Eu também detesto compra, acho uma chatice só, mas é inevitável ainda mais nessa época.Me empresta a bacia com pétalas?
    bjs bom domingo
    Jussara

    ResponderExcluir
  15. Oi Jussara, às ordens. Use e abuse!Linda não? rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Malu, tinha postado aqui antes mas o blogger não colaborou comigo. Sumiu tudo..rs
    Mas é isso mesmo amiga.
    Fim de ano, correria para cumprir prazos. Não dá tempo pra muita coisa, não. E nessas horas a gente tem que optar.
    Eu mesma tenho deixado o blog um pouco de lado porque senão acho que ía pirar na batatinha.
    Que poesia maravilhosa vc escolheu para fechar o post.
    AMEI!!
    Beijo grande querida

    ResponderExcluir
  17. Oi Re,

    Bom te ler novamente. Tudo são fazes, não é?
    Agora as coisas estão entrando nos eixos.
    Bjs,

    ResponderExcluir
  18. Malu,

    Eu conheço este poema de Adélia Prado é maravilhoso!
    Tenho sentido os sintomas de fim de ano que agora incluem um início de inflamação na garganta que espero não vire infecção.
    Senti tua falta, estive menos presente na minha visita a meus amigos por acá, menos presente para mim mesma, há perdas e há ganhos, estou nesta luta para que os ganhos sejam maiores.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  19. nem fale Malu! aqui tb tudo está uma loucura!
    que vida corrida... espírito de maratona, não de natal hahaha
    bjs e boa semana e boa sorte com tudo ai

    ResponderExcluir
  20. Oi, Malu!

    Você está certíssima, Malu. A família, aqueles que amamos, devem estar em primeiro lugar na nossas vidas. Mas, esquece da gente não, viu?

    Beijos
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  21. Oi Socorro. Esqueço não, pode deixar.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  22. Não dá para se dividir tanto, sendo que quando aperta, a gente tem de preferir a vida pessoal fato em detrimento aos blogs...

    Fique com Deus, menina Malu Machado.
    Um abraço.

    ResponderExcluir