"Absinto" é uma bebida destilada feito da erva Artemisia absinthium. Anis, funcho e por vezes outras ervas compõem a bebida. Ela foi criada e utilizada primeiramente como remédio pelo Dr. Pierre Ordinaire, médico francês que vivia em Couvet na Suíça por volta de 1792.É também conhecido popularmente de fada verde em virtude de um suposto efeito alucinógeno. Absinto, o blog, é um espaço para delírios pessoais e coletivos. Absinte-se e boa leitura.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Minha idéia é meu pincel - Frida Kahlo

Frida Kalo - Auto-retrato

Este é meu retrato. Homem e mulher.

Personagem andrógeno, um enigma.

Mas, não. Não perca tempo tentando me desvendar.


Entre as matas intransponíveis deste meu antigo México, também sou eu indecifrável.

Sou muitas, sou muitos, sou mito transgressor.

Mergulho em uma realidade fantástica.


Para os outros.


Para mim, tudo o que me cerca é passível da mais pura verdade.

Em perfeita harmonia declaro amor eterno à irreverência.

A normalidade do meu ser é não ter parâmetros que me reduza.

Adoro meu mundo caótico e pragmaticamente imprevisível.

Dentro do meu universo inventado, tudo percorre na mais perfeita desordem.

Auto-retrato.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Infinitudes

Evoco o dicionário em nome da sonoridade que algumas palavras me provocam

Gozo, sorver, parideira, alumiar, cortesã, febre terçã, afago,chamego,fagueira 
provar, gotejar, orvalho, botica, patuá, à lenha, riacho, tacho, caritó, aluada, aroma, manjerona, cromático, bica d´água, pororoca, iguapé, pirilampo, potiguá, pimenteira, incrustado, costados, arrecifes, marola, ventarola, piquenique, argumento, sinfônica, beijo, opaco, conta-gotas, bergamota, laranja-cravo, tangerina, santidade, pecadora, açucarada, apimentada, doce, esguia, pincelada, avoada, amendoeira, corredeira, abricó, pharmácia, tortilha, serena, perdigueira.

É com gosto que permito que saiam de minha mente, um cortejo harmônico, promovem uma corredeira de emoções, evocam sentidos. Um bem-falar, um bem-me-quer. 

O experimento da letra acaricia meus desejos, aquieta o coração. Às vezes penso, teria eu um caminho diferente do que tecer parágrafos para todo o sempre? O ato de escrever me é dolorosamente inerente.

Oratio vultus animi est, "O discurso é o rosto da alma"

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Minha idéia é meu pincel - Mulheres azuis

Edgar Degas Les Danseuses Bleues
Elas eram todas iguais.
Sensualmente iguais
Sensualmente azuis

Corpos esguios
Peles sedosas

Cabelos presos em delicados e irretocáveis coques
Como convêm aos mais belos corpos de baile

Ousadia de olhares
Precisão de movimentos

Desprovidas de vergonhas
Despidas de vontades

Apenas azuis

Perfeitamente intocáveis
Perfeitamente inatingíveis

Como convém a um corpo de baile

Após o espetáculo, a menina que nunca suportou a mesmice do rosa,
Bordou um rosado em seu tule e sai para o mundo

Desfrutando o prazer de ser curva, desengonçada, autenticamente mulher.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Dias de colheita

Minha relação com a água já ficou evidente por aqui.
Mas tenho que dizer. De tanta chuva, estou de alma renovada.

Há muitos anos passei por um momento profissional difícil.
Era aquele tempo em que estamos no começo de carreira e precisamos provar a todo instante a nossa capacidade.

Nesta época, falava sempre para mim mesma: o mundo gira e a lusitana roda. Este era o meu mantra de todos os dias e de todas as horas.

Não sei bem o significado dessa expressão, mas soa como dizer, tudo muda, tudo passa. E passou.

Estes dois últimos anos também têm sido de muita indefinição no meu cotidiano.


Tanto que, não tendo muito por onde extravasar, vim parar aqui na blogosfera.

Escrever, então, era como se eu abrisse uma janela no 15º andar de um prédio e gritasse para todo mundo minhas angústias e dissabores.

E veio o período das chuvas e com ele a renovação dos meus caminhos e desejos.


De repente, vários sonhos guardados na gaveta começam a ganhar força e todo o universo conspirar a meu favor.

Ainda existem muitas angústias sem respostas, mas algumas coisas lindas começam a se concretizar.

E eu fico pensando, como somos pessoas de pouca fé. Não, não a fé religiosa, mas a fé no pensamento. Fé no plantar e no colher.

É impressionante como tudo que mentalizamos ganha contorno e sentido. Às vezes não do jeitinho que imaginávamos, mas, de repente, o que pensávamos ser impossível, se realiza.

Esta colheita de vontades demora. Até porque o nosso querer também demora a ser compreendido e por nós mesmos confirmado.

O mundo gira, a lusitana roda. Quando não encontramos mais saída, devíamos sempre pensar assim. Mas quem em pleno olho do furacão pode ser tão sensato?!

E, para falar a verdade, como é bom esse desespero pujante de vida.
É como briga de amor, quando se resolve.

Hoje estou em dias de nuvens brancas e suaves. Dançando e brindando meus dias de trégua.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Minha idéia é meu pincel - Águas de Contenda

Georgia O'Keefe - The Waterfall 



Quem vê em mim uma pessoa mansa


Digo que sou mansa como as tempestades


Quem vê em mim tranqüilidade


Digo que sou correnteza brava


Engana-se quem em mim pousa os olhos e vê quietude


Nada em mim é constante


O que me instiga é a possibilidade de mudança


Quando ela não chega, eu a invento


Altero percurso e sigo em meus devaneios


Ansiosa


Para depois quedar lânguida nos braços de quem me ama.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Lume-pronto


Mas que bonitas as cores destas lanternas

Exibem na minha frente uma dança enigmática

Luz que aquece sentimentos

Coração chega a palpitar

Tum Tum

Respiração ofegante

Onde estou? Apenas sigo a luz do fogo

O fogo queima

Ui ! 

Queimadinho bom.

sábado, 6 de novembro de 2010

Prêmio Dardos


O Prêmio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais etc, que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras. 

Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

O Rogério Pereira http://conversavinagrada.blogspot.com/ achou que eu merecia a honra de ser brindada com tal troféu. E eu fiquei muito lisongeada com a homenagem.

O Prémio Dardos tem as seguintes regras: Exibir a imagem do Selo no blogue; Revelar o link do blogue que me atribuiu o Prêmio; Escolher dez ou mais blogueiros para premiar.

Tentei retirar os que já receberam este selo. Mas, se alguém já ganhou, considere-se duplamente homenageado.

Mesmo assim minha lista ainda ficou enorme, mas vamos lá:

1 – Apenas um cadinho de Poesia, da minha querida Xará Malu  

2 – Meu amigo Alexandre http://lostinjapan.portalnippon.com/

3 – Elenir com o seu http://viajenajanela.blogspot.com/

4 -Pela janela de minha alma  http://pelajanelademinhaalma.blogspot.com/


6 – O imperdível Mattosquela - http://mattosquela.blogspot.com/


8 – A querida Glorinha http://cafecomglorinha.blogspot.com/

9 – O melhor Buteco do planeta - http://butecodolufe.blogspot.com/

10 – Grace e seu olhar apaixonante sobre a África http://graceolsson.com/blog/

11 – A leitura de Proa http://analuciaproa.blogspot.com/


13 – Casa da Claridade http://casaclaridade.blogspot.com/




17 – Mauro Morais  http://omauromorais.blogspot.com/



20 – Parto do Princípio http://partodoprincipio.blogspot.com/

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Toada para Berenice

Summer Flowers por Elaine Jackson

A fadiga bate a porta
Sono intenso,
barulho de formiga incomoda
Olhos cerrados
Pensamento não tem pouso


Rasgo a carta de navegação
Não há rumo porque este independe das minhas escolhas
Os sonhos desfeitos me lembram a Menina e o Leite
Sigo impotente deixando que o acaso semeie o meu caminho


Aí conheci Berenice.
Menina de seis anos, em fila de adoção
"Tia, tá doendo". Dor de dente


Uma semana à base de analgésicos. Nenhum tratamento
Ganha cuidados de dentista amigo. O dente já em estado de putrefação


Volto para casa.
Berenice no abrigo dorme hoje sem dor


Não sou do tipo que julga a dor maior de um com a dor menor do outro
Todas são dores, cada um constrói e destrói os seus fantasmas


Mas por horas meus desalentos ficaram pequenos
Eu rezo por Berenice

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Minha Idéia é meu pincel - Belo estranho

Paul Klee - The Rose Garden

primeira vez que vi um caleidoscópio tive a plena sensação de ter encontrado o sentido da vida.

Aquelas belas figuras ofereciam para mim a promessa de mudanças sem fim. A cada quadro, uma nova e surpreendente cena tomava cor e forma.

Demorou algum tempo para que eu percebesse que a roda da vida gira e se repete. Mas o encontro na mesma rua nunca será o mesmo.

O belo estranho me fascina. Sou como um gato vadio que necessita correr pela cidade por entre ruelas e serenatas.

Mas, ainda que me perca em labirintos, retorno ao território conhecido.

A cada pessoa que conheço renasce em mim as esperanças pela humanidade. 

Todos são belos, todos. Com seus contornos definidos em prismas de almas facetadas que prometem, sempre, novas revelações para quem tem olhos de ver e dedos para sentir.

Gosto de passear por este caleidoscópio de pessoas e paisagens. Em cada caminho, tento semear um pouco de mim e levar um pouco e tudo. No entanto, costumo pagar pelo excesso de bagagem.

Pouco me importar, desde que possa mirar e aprender com o novo e renascer possuída de um novo encantamento. 

Em minhas estradas, por vezes brotam rosas perfumadas e repletas de espinhos. São provas da minha existência. Nem santa, nem de toda pecadora. Nem certa, nem errada, apenas errante.