"Absinto" é uma bebida destilada feito da erva Artemisia absinthium. Anis, funcho e por vezes outras ervas compõem a bebida. Ela foi criada e utilizada primeiramente como remédio pelo Dr. Pierre Ordinaire, médico francês que vivia em Couvet na Suíça por volta de 1792.É também conhecido popularmente de fada verde em virtude de um suposto efeito alucinógeno. Absinto, o blog, é um espaço para delírios pessoais e coletivos. Absinte-se e boa leitura.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Café sem capuccino


Respingo de chuva incomoda. Mesmo sendo chuva rasa. Ele já havia molhado boa parte das calças de sarja cor de areia. Os sapatos tipo tênis estavam encharcados. Bueiros de metrópoles transbordam logo, como a paciência das pessoas que mudam de humor na mesma velocidade que os semáforos. O suéter vermelho, jogado sem compromisso pelos ombros, cobria a camisa verde e, de alguma maneira, velava o rosto do rapaz. A barba por fazer, os olhos tensos, a boca era a única parte do seu corpo que restava seca.

Entrou no bar e pediu um café. Como sempre. Amargo e forte. Sentado no balcão, ocupava aquele estado de corpo e de espírito em que não podemos ser notados. Por isso, também não pode perceber quando a moça morena de olhos negros passou por ele quase esbarrando em seu braço. A moça também não poderia tê-lo visto e só por isso seguiu seu caminho para todo o sempre.
 
 
Diego continuou sentado com o olhar perdido. Tirou do bolso o celular e pensou em ligar. Tecla Redial. Mas faltou a coragem ou teria sido tomado pelo excesso de orgulho. O fato é que não estava disposto a pedir desculpas. E não pediu. Acabou de tomar o café. Procurou a letra B em sua lista de contatos e deletou o seu número. Pagou a conta e seguiu pela chuva fina. Ao dobrar a esquina, ouviu de um ambulante que vendia guarda-chuvas: “Chuva de molhar bobo”.

10 comentários:

  1. Parecia ter sido escrito para mim.
    Percebi que não, perto do fim.
    É que eu liguei mesmo...

    (verdade!!!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes foi. Mas só até antes do fim!

      Excluir
  2. OI MALU!
    MAS, POSSO PENSAR QUE ELA NÃO DELETOU O NÚMERO DELE E LIGOU, LOGO QUE ELE DOBROU A ESQUINA, E, TEMPO AINDA DE VOLTAR...
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilani. Vc pode pensar o que vc quiser rss. A leitura é de cada um não é mesmo?

      Excluir
  3. malu

    Belissimo texto! vivo e vibrante!

    Volto!

    ResponderExcluir
  4. Ah!!! e estejas feliz agora e sempre!

    gilberto nel mezzo del cammim

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu conto, gosto de contos assim, que mostram coisas da vida, do dia a dia.Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Ah, os desencontros......

    bjo procê

    ResponderExcluir
  7. Malu,
    prazer em conhecer o seu cantinho.

    Beijo,
    Doce de Lira

    ResponderExcluir
  8. Muito legal !!! Você sabe que isso já aconteceu com muitas pessoas, né? Eu, quando estudava na terceira série do ensino fundamental ( e lá vai bolinha), tinha um menino que eu paquerava ( imagina só!). Ele era lindo ! Mas nunca me dava idéia. Um dia me enviou um bilhete no meio da aula. Todos me olharam. Eu , por orgulho, não abri . E morro de curiosidade para saber o que estava escrito até hoje !!!! kkkkk

    ResponderExcluir