"Absinto" é uma bebida destilada feito da erva Artemisia absinthium. Anis, funcho e por vezes outras ervas compõem a bebida. Ela foi criada e utilizada primeiramente como remédio pelo Dr. Pierre Ordinaire, médico francês que vivia em Couvet na Suíça por volta de 1792.É também conhecido popularmente de fada verde em virtude de um suposto efeito alucinógeno. Absinto, o blog, é um espaço para delírios pessoais e coletivos. Absinte-se e boa leitura.

sábado, 13 de março de 2010

Você tem Índice de Valor Humano?





A cena está no filme e no livro Caçador de Pipas. O patriarca, Omar, sai literalmente no braço com o dono de uma quitanda de um bairro do subúrbio novaiorquino. O motivo? Omar não compreende como o comerciante se recusa a lhe vender fiado, já que é seu freguês de todos os dias, e lhe pede que faça a compra com cartão de crédito.

Omar é imigrante ilegal. Homem de muitas posses em seu país, veio para os Estados Unidos fugindo da guerra civil no Afeganistão. Em Cabul, todos os comerciantes vendiam a ele apenas na confiança, certos de que o pagamento viria no final de cada semana.

Minha avó dizia, que seu avô contava, que no tempo deles também era assim. O homem honrado e seu fio de bigode valiam mais do que qualquer papel registrado em cartório.

Hoje, os códigos de conduta não se baseiam mais na palavra empenhada. Tanto que em uma pesquisa realizada pela ONU em 2009, muitos dos brasileiros entrevistados citaram os valores morais como um dos principais itens que precisariam mudar no país para melhorar a vida do cidadão.

Em São Paulo, os valores ficaram em primeiro lugar entre todas as respostas. Por isso, a ONU decidiu fazer uma pesquisa específica para identificar que valores são esses.

A pesquisa vai até o final de maio de 2010. Os resultados vão criar um novo parâmetro para as Nações Unidas: o IVH, Índice de Valor Humano.

Então, vamos tirar as teias de aranha daquele “Livro das Virtudes, que em algumas famílias costumam passar de geração a geração, e que ainda pode ser encontrado nas melhores lojas do ramo, e começar a pensar quais valores você acha que não podem faltar em sua vida.

Na minha lista, o primeiro deles é o respeito. Sempre achei que respeitar o próximo, a vontade do próximo, o momento de silêncio e de euforia do outro (Sem que isto signifique sua negação pessoal, é claro), é o principal alicerce para qualquer tipo de relação.

E não podem faltar a verdade, a honestidade, a solidariedade, o companheirismo, a compaixão. São palavrinhas capazes de revelar o caráter de quem você convive e que vão formar o seu Índice de Valor Humano.

Bom, não sei bem como a ONU vai mensurar isso, e também não sei bem que utilidade prática isso terá. Mas achei interessante essa presença de espírito dos tais pesquisadores. Demonstra, no mínimo, sensibilidade.

Um brinde aos valores. Que sejam renovados, relembrados, e, sobre tudo, praticados.

4 comentários:

  1. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog Fabrício Carpinejar. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propagando control c control v, mas sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas no blog do meu xará, inclusive é seguidor do meu blog, claro que ela faz isso mais por gentileza do que pela qualidade do meu texto, mas estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Malu, quando penso em valores morais é impossível não pensar na abrangência e simplicidade dessas palavras:ame ao próximo como a si mesmo. Palavras que minha mãe simplificou para mim ainda pequenino:não faça nada para alguém que você não gostaria que fizessem com você. Esta ética eu sempre procurei seguir embora a vida torne isto muito complexo as vezes.
    Nietzsche, para mim um dos mestres do complexo, disse:"Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal."
    Hoje compreendo o significado de palavras como respeito, verdade, dignidade, compaixão, solidariedade, companheirismo, caridade,perdão,etc; todas incluídas no verdadeiro amor ao próximo.
    E como é difícil em alguns momentos manter um alto Índice de Valor Humano.
    Mil beijos e você está cada vez melhor.

    ResponderExcluir
  3. Tempos bons quando empenhávamos nossa palavra e esta tinha valor. A pesquisa é ótima mas acho que deveriam perguntar também o que fez mudarmos de atitude.
    Sabe, a Isis do blog A poderosa me falou do seu blog e eu adorei !! Beijos, até mais.

    ResponderExcluir
  4. Malu, adorei os videos da Rita Pavoni, apesar de ter nascido um pouco depois, ouvi muito ela na minha infância. E quando ao indice de valor humano penso ser um grande avanço, finalmente conseguimos chegar ao ponto de comerçarmos a pensar sobre nossos valores morais. Acredito ser valida só pelo fato de fazer as pessoas pensarem sobre a moral e valores como respeito e diginidade. Isso mostra que, realmente, há esperança para a transformação de nossa humanidade.

    ResponderExcluir