"Absinto" é uma bebida destilada feito da erva Artemisia absinthium. Anis, funcho e por vezes outras ervas compõem a bebida. Ela foi criada e utilizada primeiramente como remédio pelo Dr. Pierre Ordinaire, médico francês que vivia em Couvet na Suíça por volta de 1792.É também conhecido popularmente de fada verde em virtude de um suposto efeito alucinógeno. Absinto, o blog, é um espaço para delírios pessoais e coletivos. Absinte-se e boa leitura.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O pé de caju e a pós-modernidade

Ele surgiu assim como surgem as coisas boas em nossas vidas: sem avisar, sem expectativas.

E, de repente, um dia olhei o pequeno vaso aonde dias antes havíamos depositado a semente de caju e lá estava o pequeno pé brotado, um daqueles milagres que a ciência já revelou, mas que, pela singularidade e pela absoluta raridade da cena, me deixou sensibilizada.

Então eu tinha um pequeno cajueiro em minha casa. E agora? Aonde vamos plantá-lo? Como assim, plantá-lo?? Argüiu meu companheiro. E se a raiz dele atingir o muro? 


Moro em uma pequena casa, com um pequeno quintal, cujos limites dos fundos se faz por um muro de seis metros de altura por 12 de comprimento. 


Embora as medidas possam parecer, no mínimo, razoáveis, a topografia não é amigável para plantas, digamos, de grande porte.

Eis o meu dilema: em tempos modernos, quiçá pós-modernos, em que o desejo coletivo gira em torno de uma tal qualidade de vida, cultivo a graça de ter um pequeno cajueiro em minhas mãos e simplesmente não posso ficar como ele?

O cheiro do caju convive com minha infância, a fruta comprada na feira-livre todas as semanas e devidamente coada no pano branco. Talvez o único utensílio doméstico que minha mãe não me permitia brincar. “Este não, filha, este é o pano de coar o caju”. Era quase o Santo Sudário.  


O perfume da fruta ficava na trama com que eu furtivamente queria enfeitar minhas bonecas. Diante destas lembranças, como poderia eu consumir em uma gôndola de supermercado alguma dessas polpas congeladas?  

Decidida a encarar os fatos de ser eu uma mulher dos tempos modernos, há seis meses apanhei dois pacotinhos, um de goiaba, outro de manga, e joguei-os para dentro do carrinho certificando-me de que ninguém me olhava.  

Todavia, embora cometida a heresia da compra, não consegui consumar o ato e os dois pacotinhos continuam no meu congelador aguardando que eu aceite o inevitável: sou uma cidadã do mundo fast food, não é mais necessário esperar um pomar inteiro crescer para saborear uma simples fruta.




Mas eu posso! Eu posso ter o meu pomar! Eu já tenho até um pequeno pé de caju que nasceu como devem nascer os pés de caju, rompendo a semente em busca de luz.

Mas ele não cabe no meu quintal. Talvez o ato da doação seja o mais acertado neste caso. A quem darei, então?

A alguém que certamente não mais se lembrará de me presentear com uns pequenos cajus em sua primeira florada?

Alguém que talvez não saiba a medida certa da água e do amor que a ele devam ser dispensados?

A alguém que não sabe que o melhor suco de caju é coado no pano e tem cheiro de mãe?

Neste instante, meu companheiro chega perto de mim e diz: Está decidido. Que o muro caia, mas o caju fica!


Fico com uma gostosa sensação de que a humanidade está salva.

38 comentários:

  1. O pe de caju nao tem o direito de morrer sem cumprir seu papel... Que é alimentar, embelezar, nos conectar... E viver sua propria gloria.

    A humanidade esta salva. Mas so a parte que deixa o caju florescer derrubando o muro que divide espaços inventados e irracionais.

    Floresça, pe de caju... Aos pes da Malu!

    ResponderExcluir
  2. E que fique o caju e tudo mais que tanto amamos!
    B-Jos.

    ResponderExcluir
  3. Que cajueiro de sorte esse.... não é qualquer coisa derrubar um muro pra poder ficar.
    É o amor de quem dele cuida ou sabor que ele oferece que o salvou?rsrsr...
    Já ouví sua nova seleção da radio absinto.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  4. Que lindo post Malu!!!!
    Como disse a "poderosa", que cajueiro de sorte esse!!!
    E que magnífica a sua forma suave de nos contar suas lembranças, sua dúvida sobre o que fazer, a quem doar, e a decisão final de seu marido...amei!!!
    Que o muro venha abaixo, mas o amor fica!!
    Valeu minha noite ler esse seu texto.
    Obrigada
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Oi Dydy, Vida longa para nosso pequeno cajueiro! Espero que ele ainda me renda muitas alegrias que aqui serão compartilhadas

    ResponderExcluir
  6. Menina, não é que esta mudinha já chegou forte? Também, não é qualquer semente que você planta e ela floresce. Merece respeito.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi Priscilla. Como você bem disse, cajueiro defendido, agora que sobrevivam todas as coisas boas da vida.

    ResponderExcluir
  8. Querida Regina, obrigada você pelo carinho. O cajueiro é nosso!!

    beijo grandão.

    ResponderExcluir
  9. É, amiga...
    Somos dessa era fast mesmo...
    Mas uma plantinha que nasce, é uma vidinha que se renova.
    É a vida se fazendo presente!
    Quase implorando: Hey! Olha pra miiiim!

    Beijo mágico!
    Fabricante de Sonhos

    ResponderExcluir
  10. Oi Malu, um brinde ao caju! Um pedaço de terra, um punhado de amor, é assim que nasce boas histórias e longas amizades.

    Abraços

    Solange

    ResponderExcluir
  11. Malu , xará e já amiga ,

    Coisa mais boa foi vir aqui te conhecer e ler .

    Nossa !... amei tudo aqui , senti até o cheirinho gostoso de caju.
    Não poderia ter lido nada melhor.
    Me remeteu à minha infância , onde tinha um
    belo pé de caju no quintal da casa da minha bisa.
    Ela ficava louca comigo trepada o dia todo
    na árvore comendo caju , ...Rsrsrs
    Obrigada por me proporcionar essa viagem
    à um tempo tão mágico de minha vida.

    E palmas , palmas pra você e pra seu companheiro.

    Dane-se o muro e Viva o Caju !!!
    \o/ \o/ \o/
    Hehehe ..........

    BjO Imenso e Muito Feliz em ter sua
    presença lá no meu cantinho. :)

    ResponderExcluir
  12. Que bom te ver por aqui, Milla. Este cajueiro tá ficando famoso. Obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  13. Solange, prevejo que esta amizade vai longe.

    bjs,

    ResponderExcluir
  14. Viva o caju!! Que bom que gostou, Malu. Sinta-se à vontade para explorar este espaço.

    beijo grande,

    ResponderExcluir
  15. "Toda questão tem pelo menos 12 lados." Malu, Isso te soou familiar?! Fiquei aqui imaginando que vc encontrou mais que doze lados nesta questão. O coração, o saudosismo falaram mais alto, muito mais que um muro de seis metros de altura por doze de comprimento. Digamos que, somando tudo, não deve chegar nem perto do número de cajus que vc irá colher no seu atual "pezinho de caju" num futuro não muito distante. Mas lembre-se "a árvore está virtualmente presente na semente". E se essa árvore trouxer o sabor, o perfume, as cores, a memória de tudo o que você viveu, deixando um gostinho de quero mais, vale a pena deixar a semente germinar, alimentando a alma. E se você realmente colocou tudo quanto é no mínino que fez, pode ter certeza que vai ter muita gente querendo a sombra, o perfume das flores e o suco de caju coado no paninho branco.
    Beijos!!
    Beta

    ResponderExcluir
  16. Malu,

    Esse é realmente companheiro!!!!!
    Que é um muro?
    Vale mais o caju com o pano de coar e o gosto e o heiro de colo da mãe.

    A qui em casa, plantei uma jaboticabeira, um pé de acerola e um de manga.
    A cordo todas as manhas com o canto dos passaroe. Cato jaboticabas esticando a mão de minha janela.
    Não há dinheiro que pague....

    Que caia o muro!!!!

    bjo

    ResponderExcluir
  17. Tentei comentar esse post ontem mas não consegui!
    não sei pq, o post anterior tb tentei comentar e não consegui...
    o blogger n me ajuda com os comentários, tem horas rs.

    seu post é muito bem escrito. aliás como muitos aqui. eu tb sou apaixonado por caju. sempre compro, pra mim tb tem um cheiro familiar, de infância, de momentos felizes.

    e esse pé de caju dará frutos lindos, o muro vai aguentar firme, vc vai ver!

    Malu, aquele site, da blogagem sobre a água, pede um login e senha para vc sempre poder retornar ao site como membro. fora a blogagem coletiva, outros temas são abordados. e caso vc tope participar novamente o ano que vem da blogagem, o cadastro já está feito, não precisa preencher tudo de novo (só não esqueça de anotar o login e senha, salve online mesmo, no google docs).

    muito obrigado por ter topado a idéia! fiquei contente. foi mto em cima da hora que avisei, qto a isso peço desculpas...

    (vai blogger, aceita o comentário!!!)

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Vi um comentário seu no blog do Alexandre, fiquei curiosa e vim espiar. Chegando aqui me encantei com o seu cantinho.
    Já virei fã seguidora, viu?

    Abraços

    Lia
    Blog Reticências...

    http://liaks25.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Ah Roberta, você tem toda a razão. Na minha mente, já senti o gosto e o aroma dos meus futuros cajus. Já fiz a minha colheita.

    E quem sabe, meu pequeno cajueiro realmente dando frutos, irei distribuí-los com todos vocês?

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Lufe, tenho um companheiro muito especial. E você teve a sensibilidade de perceber, não é mesmo?

    Espero em breve estar como você colhendo suas jabuticabas e mangas. Aqui em casa tenho um pé de limão tahiti, excelente para caipirinhas. Querendo, posso mandar entregar umas caixas para o seu bar. Topas? rss

    ResponderExcluir
  21. Oi Alexandre, realmente o blogger prega umas peças na gente às vezes. Eu até já me acostumei a copiar o comentário antes de postar de tantos que já perdi!

    Quer dizer que aí no Japão você tem caju. Que bom!! Vou lá no seu blog ver se você já escreveu algo sobre frutas por aí. Se não tiver escrito, fica a minha sugestão.

    Quanto à postagem coletiva, eu que agradeço divulgar. Já mergulhei de cabeça. A água é meu elemento hehehe.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  22. Olá Lia, que bom que veio. Sinta-se à vontade para navegar por aí. Agora vou lá no seu cantinho conhecer.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  23. Sempre que aqui faço uma visitinha,retorno ao meu passado, passado este que tanto fui feliz sempre debaixo de um pé de abacate, minha casinha era de tijolo,o sofazinho ,a mesinha enfim,a comidinha de abacate. Que a mãe natureza proteja seu pé de caju.
    beijos luci

    ResponderExcluir
  24. Por favor me dê uns cajus da primeira florada.
    Bjs.
    Mara

    ResponderExcluir
  25. Legal o post, Malu derrubadora de muros! ;)

    Fiquei me sentindo a mais fast food de todas.. adoro suco de caju e pasme, acho que nunca tomei um suco verdadeiro (fruta fresca coado no pano.. rsrs).

    Agora, toda vez que eu tomar, vou me lembrar de vc e ficar pensando em qto deve ser melhor um suco de verdade! kkk Eu chego lá!

    Bjão.

    ResponderExcluir
  26. Lembro me com frequencia das bananeiras, mangueiras e outras plantas mais que ajudei meu pai a plantar em uma casa do interior... Nunca tive a chance de saborear nenhum de seus frutos mas a lembranca de que estas plantas existem e que devem estar frondosas e dando frutos aos atuais moradores de nossa antiga casa me deixa uma sensacao muito boa, ja plantei muitas outras arvores mas estas em especial ficaram em minha memoria talvez porque era crianca. Enquanto isso, vou matando a saudade dos sabores tropicais com polpas congeladas, mas por aqui nao considero isso um pecado eh a unica chance que tenho de relembrar o gostinho das frutas do Brasil.
    Um beijo Blue

    ResponderExcluir
  27. As vezes uma simples questão pode nos levar aos mais profundos cantos de nossa menter, sendo que você fez bom post para nos fazer refletir...

    Fique com Deus, menina Malu Machado.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  28. Oi Blue, As lembranças da infância são as mais gostosas, não é? Eu sinto assim. Curta as suas frutas congeladas, uma saborosa ponte com o nosso país.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  29. Malu,

    Depois que você me alertou que eu vi...
    E eu comprando limão....
    Claro que quero, você vai ser minha fornecedora exclusiva....rs

    bjo

    ResponderExcluir
  30. Bom Despacho, e este post me ajudou muito na minha assignement faculdade. Agradecimentos você como suas informações.

    ResponderExcluir
  31. Estive pesquisando na Internet tentando encontrar idéias sobre como obter o meu blog pessoal codificado, o seu atual estilo e tema são maravilhosos. Você código de sua própria ou você contratar um programador para fazê-lo para você pessoalmente?

    ResponderExcluir
  32. Eu só queria fazer um breve comentário para dizer que eu estou feliz por ter encontrado o seu blog. Graças

    ResponderExcluir
  33. Olá... Saudações dos Cajueiros do Ceará... Somos do Museu do caju um projeto sócio cultural que mantemos sem ajuda do poder público. Estamos felizes pois trabalhamos com a temática do caju desde 2007, idosos e deficientes físicos fazem artes artesanato e produtos alimentícios derivados do caju. O caju realmente é uma dádiva, algo precioso que veio da natureza e que nós brasileiros em sua maioria não valoriza... Ficamos felizes pelo seu pensamento e imaginação com o caju cajueiro. Podemos divulgá-lo junto aos nossos visitantes? Somos fortes com a cultura do Caju. O caju é do Brasil!!! Contato: museudocaju@yahoo.com.br Face book: Museudocaju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquem à vontade, citando a fonte, me sentirei honrada.

      Excluir
  34. Adorei! O muro do meu quintal tem muitas rachaduras :)

    ResponderExcluir
  35. Malu, adorei a sua história, muito linda e com final feliz!!! Também tenho um pé de caju e ele tem 4 anos, assim como você, tenho uma relação muito afetiva com ele, na verdade gosto muito de plantas, mas meu cajueiro é especial o amo muito, fico horas olhando pra ele, encantada com sua beleza. Mas, o quintal daqui de casa também é pequeno e minha mãe sempre fala que vai arrancá-lo, segundo ela o cajueiro irá derrubar a casa. Fico triste em saber que algum dia posso chegar em casa e vê-lo arrancado. Ele já deu deliciosos frutos, agora ele está tão lindo, florido e já com algumas castanhas, enquanto estiver ao meu alcance vou defendê-lo. Um abração!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Isa. Feliz com sua visita e de saber que de que estamos ligadas pela literatura e pelo caju! Mostra o texto para a sua mãe. Se ela não for de computadores, imprime e dá de presente para ela com um suco de caju bem gostoso ! Bjs e volte sempre!

      Excluir
    2. Boa ideia rsrsrs!!! Obrigada!!!
      Um abraço!!!

      Excluir